MUNDIAL DE MOTOCROSS

Sergipano integra equipe italiana de Motocross
Rodrigo Lama disputa o mundial nos dias 18 e 19 de maio
O primeiro piloto do Brasil a integrar uma equipe italiana de Motocross representa Aracaju nas competições por onde passa. O nome dele é Rodrigo de Andrade Santos, mas pode chamá-lo de Rodrigo Lama, já conhecido no esporte sergipano e beneficiário do Bolsa Atleta na categoria Bronze. (Foto Renisson Rodrigues)
Veja em foto, chegou da Itália a moto que o Lama vai participar o Mundial TM Racing.

Rodrigo disputa nos dias 18 e 19 o Mundial de Motocross, que vai acontecer na cidade de Penha, em Santa Catarina. Nessa competição ele estará com a motocicleta da TM Ricci Racing, equipe italiana que está apostando no piloto. O contrato com a empresa é válido para a terceira etapa do campeonato brasileiro, que acontece dia 26 de maio em Mato Grosso, e para a quarta e quinta etapas, que acontecem em julho em Porto Seguro e em Aracaju.


“O Rodrigo vem se profissionalizando, e a maior prova disso é esse contrato com a equipe italiana. Ele é o primeiro piloto brasileiro que vai competir representando uma equipe oficial internacional”, disse Juvenal Alves, pai do atleta, presidente da Federação Sergipana de Motocross e vice-presidente da Federação Brasileira de Motocross.

A parceria foi firmada durante a abertura da Copa Sisal de Motocross, que aconteceu dia 28 de abril no município de Serrinha, na Bahia. Durante a prova Rodrigo correu e venceu duas vezes, sendo observado por representantes da TM Ricci Racing, que já tinha planos para firmar contrato com algum piloto em 2014.

O projeto da motocicleta que Rodrigo vai competir foi desenvolvido pelo engenheiro Andreani Group e vai contar com mousse da marca Golden Tyre, cabeçote especial, pistão redesenhado e comando de admissão e suspensão especiais.
Rodrigo integra o quadro de esportistas que recebem o Bolsa Atleta da Secretaria Municipal de Juventude e Esporte (Sejesp), fator que segundo Juvenal foi importante para o crescimento do piloto. “O Bolsa Atleta, por exemplo, não é apenas um incentivo financeiro. É reconhecimento público. E digo isso não apenas como pai de atleta assistido, mas como presidente da federação que observa um maior respeito ao esporte e vê pilotos mais estimulados a melhorarem seus rendimentos”, assegurou.

O secretário de Juventude e Esporte, Carlos Eloy, comemorou a conquista do piloto, que desde cedo despontou no esporte. “A ascensão do Rodrigo é mais que merecida. O nome dele já se tornou referência para o MotoCross em Sergipe e nós acreditamos que ele pode chegar ainda mais longe. Não é por acaso que uma equipe italiana apostou no talento dele”, afirmou Eloy.

Fonte: Sejesp