YAMAHA - MUNDIAL DE MOTOCROSS GP BRASIL

    Piloto Thales Vilardi \ Foto Mau Haas
A Yamaha Grupo Geração Monster Energy vai com força máxima para etapa brasileira do Mundial de Motocross 2014, que acontece neste fim de semana, 29 e 30, em Penha, Santa Catarina, na pista do Beto Carrero World. 


Único atleta catarinense na principal categoria (MXGP), Anderson Cidade representa a Yamaha e o estado pelo segundo ano consecutivo em busca de aprendizado e experiência entre os melhores do mundo.

“As etapas de Mundial são importantes para nós, brasileiros, adquirirmos experiência. É uma pista que recebe um tratamento melhor em comparação com o que estamos acostumados. Toda estrutura do evento é melhor, os concorrentes são melhores, e isso tudo ajuda a somar no nosso desenvolvimento. Pra mim, especialmente, será um ‘treino de luxo’ para a primeira etapa do Brasileiro de Motocross”, afirma o piloto natural de São José, cidade da Grande Florianópolis. 

Outro atleta do time azurra, o espanhol Carlos Campano tem experiência em campeonatos mundiais. Em 2010 foi campeão da classe MX3 e, no ano seguinte, conquistou pontos relevantes na classe principal, como quando fez um sexto lugar no GP da Grã Bretanha. Mais do que repetir a performance, Campano quer usar a prova como preparação para seu principal objetivo do ano, que é conquistar o bicampeonato brasileiro de motocross.

“Uma corrida assim é boa para testar a nova moto, ver como estou andando, fazer os últimos ajustes, tentar ‘copiar’ alguma coisa na preparação da moto da Yamaha que corre todo campeonato, e ver como estou agora, em que nível estou em relação a eles, já que há muito tempo não ando uma corrida do Mundial. Mas não vou correr muitos riscos, até porque o principal objetivo do ano é o Brasileiro de Motocross”, diz o atleta, que está se recuperando de uma fratura nas costelas. 

O paulista Thales Vilardi e o paranaense Rafael Faria completam o esquadrão Yamaha na categoria MXGP. Ambos têm experiências anteriores em corridas de Mundial, e agora querem aproveitar para melhorar ainda mais suas habilidades.

“O objetivo é classificar para as finais, tentar ser um dos melhores brasileiros, e aprender o máximo olhando os pilotos que vêm de fora. Sempre dá pra observar uma técnica aqui e ali. Além disso, a pista é legal, dá pra se divertir bastante, têm saltos grandes, curvas com ângulos diferentes do que estamos acostumados e fica em perfeitas condições durante todo fim de semana”, diz Rafael Faria, que correu os GP Brasil de 2009 na classe principal e o de 2013 na MX2.

“Estou bem confiante e motivado a correr esta prova, que acontece só uma vez por ano no Brasil. Voltei há poucos dias dos Estados Unidos e fiz alguns treinos de 450. Estou animado. Quero usar a prova como preparação para o Brasileiro de Motocross, que começa daqui alguns dias”, complementa Thales Vilardi, que correu todos os GPs Brasil desde 2009.

A equipe estará com sua estrutura montada desde sexta-feira, 28, no box da pista do Parque Beto Carrero World. Os ingressos para o Mundial podem ser comprados pelo site www.ticket3.com.br.


Programação

Sábado
10h15 às 10h35– Treino Livre MX2
10h45 às 11h05 – Treino Livre MXGP
13h às 13h30 – Treino de largada e pré-classificatório MX2
13h35 às 14h05 – Treino de largada pré-classificatório MXGP

15h10 – Prova Classificatória MX2 (20 min + 2 voltas)
16h – Prova Classificatória MXGP (20 min + 2 voltas)

Domingo
9h15 às 9h30 – Warm up MX2
9h40 às 9h55 – Warm up MXGP

12h10 – 1ª bateria MX2 (30 min + 2 voltas)
13h10 – 1ª Bateria MXGP (30 min + 2 voltas)

15h10 – 2ª Bateria MX2 (30min + 2 voltas)
16h10 – 2ª Bateria MXGP (30min + 2 voltas)

Pódio (premiação do 1º, 2º e 3º lugar da MXGP e MX2, imediatamente após o fim da corrida)   

Fonte \ Grupo Geração