CONFIRMADO A NARRAÇÃO CARIRACROSS


O maior desafio de Mountain Bike do Nordeste conhecido como Desafio Rede de Postos Presidente de Mountain Bike, apresenta no dia 10 de abril prova valida pelo campeonato brasileiro e pelo ranking do estadual sergipano em São Cristóvão na Fazenda Aruera.



Mountain bike uma das modalidades que mais cresce no ciclismo brasileiro, depois do sucesso da primeira edição do Desafio Rede Postos Presidentes que rolou no ano de 2015 com 14.000,00 (quatorze mil reais) de premiação, prova realizada em São Cristóvão Sergipe na Fazenda Aruera, a segunda edição promete um show a parte com atletas de todo Brasil.

O organizador Diego Carvalho com a inovação trazendo etapa do nacional, com a visão em trazer atletas de todo Brasil, lembrando que o estado de Sergipe sede da etapa tem grandes nomes na disputa pelo desafio, nomes como Rui Rocha, André Formigão, Will Bala, Ricardo Shul e muito mais, são vários nomes com chances de vencer em casa a disputa dessa etapa do campeonato brasileiro, posso falar, prepare o pedal que o bicho vai pegar.


MOUNTAIN BIKE

As bicicletas de mountain bike diferem das bicicletas de estrada em diversos aspectos:
Usam pneus mais largos e cardados (com cravos e geralmente acima da largura 1.5"), que absorvem impactos de forma mais eficiente, são robustos, possuem maior aderência em terrenos enlameados e oferecem maior controle e tração da bicicleta em terrenos acidentados, na areia e na lama. Em contrapartida, oferecem baixo desempenho em trechos asfaltados. Os tamanhos mais comuns dos pneus de MTB são 1.8-2.2 para o XC, 2.0 a 2.4 para o Freeride, Enduro e Downhill (referência).

Usam amortecedores, na frente, atrás ou dois, um na frente e outro atrás, conhecidas como bicicletas Full Suspension, projetadas para oferecerem maior conforto e, consequentemente, reduzir os impactos sentidos pelo ciclista e permitir maior controle da bicicleta. É importante ressaltar que não é necessário possuir o amortecedor traseiro, motivo pelo qual diversos ciclistas de diversas categorias do Mountain Bike preferem bicicletas Hardtail (rabo duro, em português, ou bicicletas rígidas, com ou sem amortecimento dianteiro) do que Full Suspension (suspensão brutalica, em inglês, ou bicicletas com dois amortecedores). Eles podem ter diversos sistemas de amortecimento: amortecimento pneumático, entre outros sistemas combinados (mola com elastômero, mola com ar, mola com óleo, ar óleo e mola, ou até mesmo elétricos (elementos de amortecimento, mais o circuito eletrônico).

Possuem quadros reforçados e mais resistentes, especialmente nas modalidades que incluem saltos e quedas de grandes alturas, mas sem comprometer gradativamente no peso do conjunto, como é o caso das bicicletas destinadas para a categoria All Mountain; O guiador (guidão) pode possuir diversos formatos, cada um com suas vantagens e desvantagens. Podem ser retos (inicialmente utilizaram-se guidões retos) ou curvos, com diversas angulações.

Nas primeiras bicicletas, utilizava-se rodas de 26", em vez dos aros 700 do ciclismo de estrada. Os aros costumam ser de parede dupla, mais reforçados e pesados que os de ciclismo de estrada, de modo a evitar deformação nas ultrapassagens de obstáculos. Recentemente começaram a ser usados também aros de 29", 27,5" (ou 650b). Na década de 2010, o aro 29 estabeleceu-se como o padrão para as provas de XCO, XCP eXCE; as rodas 27,5" ou 650b passaram a ser o tamanho mais comum para as bicicletas de All-mountain, Freeride e Enduro, embora alguns competidores, como Nino Schurter, as utilizem no XCO. No Downhill, as rodas 26" ainda são maioria, porém as rodas 650b começam a ser cada vez mais presentes também nesse tipo de prova.

Vem comigo Brasil
Fonte\ Narração CariraCross